Transplante de
Córnea à Laser

O Laser Femtosecond vem revolucionando algumas cirurgias oftalmológicas, especialmente a de transplante de córnea, a cirurgia refrativa, a cirurgia de implante do anel de ferrara e a cirurgia de catarata.

Transplante de Córnea à Laser

Um novo tipo de laser chamado laser femtosecond (ou laser de femtosegundo) vem revolucionando algumas cirurgias oftalmológicas, especialmente a de transplante de córnea, a cirurgia refrativa (cirurgia de miopia), a cirurgia de implante do anel de ferrara e a cirurgia de catarata.

Transplante de córnea à laser X transplante de córnea convencional

No transplante de córnea convencional, tanto a córnea doadora quanto a córnea do olho do paciente (córnea receptora) são cortadas manualmente com lâminas de metal, um instrumento chamado trépano.

(Imagem: Trépano para transplante de córnea manual)

transplante de córnea

Já com o laser de femtosecond, o corte das 2 córneas (a receptora e a doadora) são feitas com o laser. Ou seja, substitui-se a lâmina do trépano pelo laser.

Embora as lâminas do trépano sejam bem afiadas e os cortes em geral sejam bem feitos, o corte feito pelo laser é bem mais preciso. Além disso, o laser permite que o cirurgião faça cortes de formas variadas nas córneas, aumentando a área de contato entre elas e com isso dando maior estabilidade a cirurgia.

(Imagem: Laser de Fentosecond cortando a córnea)

Transplante de córnea

Vantagens do Transplante de Córnea à Laser

– A cirurgia é mais rápida: Com o preparo da córnea com o laser ao invés da lâmina do trépano, a duração da cirurgia é menor e isso pode resultar em menor chance de infecções hospitalares

– Utiliza-se menos pontos: Com o laser de femtosecond, a quantidade de pontos também pode ser menor. Na técnica convencional normalmente usamos 16 ou 24 pontos e na técnica com intralase, pode-se usar até 8 pontos somente. Esses pontos também podem ser retirados antes do que o normal

– O astigmatismo depois da cirurgia costuma ser menor: Com o corte mais preciso, uma aderência maior entre as córneas e uma menor quantidade de pontos utilizada, o astigmatismo depois da cirurgia costuma ser menor na técnica a laser

– Maior aderência entre as córneas doada e receptora e com isso maior resistência a traumas. O laser femtosecond permite que o cirurgião corte a córnea de formas diferentes da convencional, o que aumenta a segurança e estabilidade da córnea no pós operatório.

Quem pode fazer o transplante à laser?

Qualquer pessoa com indicação de transplante de córnea pode usar a técnica a laser, ou seja, pessoas com ceratocone, degeneração marginal pelúcida, ectasia pós lasik, distrofia de fuchs, ceratopatia bolhosa, opacidade de córnea dentre outras causas.

Qual a melhor opção?

Apesar de todos os benefícios relatados acima, um cirurgião experiente, usando uma córnea boa (bem preparada pelo banco de olhos) é capaz de fazer uma cirurgia convencional tão boa quanto um laser. No entanto, o uso do laser de femtosecond traz muitas vantagens e com o aprimoramento dos aparelhos e dos cirurgiões, não temos dúvida que essa técnica de transplante de córnea a laser vai aposentar as técnicas manuais dentro de alguns anos.

Quanto custa o transplante de córnea à laser?

O grande problema de fazer o transplante de córnea a laser (com o femtosecond) é o custo. Os aparelhos são muito caros, a tecnologia é nova, são poucos os hospitais que tem esse aparelho no Brasil, poucos médicos estão habilitados a operar com esse equipamento, isso tudo acarreta um custo elevado.

O Laser Fetomsecond pode ser usado em quais cirurgias?

Além do transplante de córnea, o laser de femtosegundo (ou femtosecond) é usado em cirurgias refrativas (cirurgias de miopia ou hipermetropia pela técnica Lasik), na cirurgia de implante de anel intracorneano para ceratocone (anel de ferrara) e até na cirurgia de catarata.

Agende sua
consulta, exame e cirurgia.

(41) 3310-4225 | (41) 3310-4202 | (41) 3310-4277 | (41) 99616-9915

BLEFARITE

Blefarite ou terçol é um acometimento que ocorre na margem das pálpebras, junto dos cílios, por glândulas que produzem uma secreção gordurosa, essa secreção gordurosa faz parte da composição da nossa lágrima.
O que é blefarite?
Blefarite, também conhecido como de terçol é um acometimento que ocorre na margem das pálpebras, junto dos cílios, por glândulas que produzem uma secreção gordurosa, essa secreção gordurosa faz parte da composição da nossa lágrima.

Em algumas pessoas essas glândulas não produzem essa secreção de forma correta, isso pode ocorrer devido à alterações hormonais, à infecções bacterianas, a um excesso de gordura ou mesmo não ter um causa aparente.

Quando isso ocorre, acumula-se uma secreção junto dos cílios, chamada blefarite. Essa secreção pode causar coceira, vermelhidão e irritação tanto nas pálpebra quanto no próprio olho.

Vídeo sobre blefarite ou terçol
Quais o sintomas da Blefarite?
Na blefarite, as pálpebras superior e inferior ficam cobertas por detritos oleosos (semelhante a caspa) em torno da base dos cílios que podem inclusive levar à perda dos mesmos.

Coceira e irritação ocular, sensação de corpo estranho, lacrimejamento e vermelhidão nas bordas das pálpebras são os sintomas mais típicos.

Por ressecar o olho, a blefarite pode dificultar a adaptação às lentes de contato.

Blefarire, qual a causa?
Como explicado anteriormente, a blefarite ocorre por uma alteração na produção de gordura das glândulas das pálpebras (blefarite seborréica) ou por uma infecção bacteriana dessas mesmas glândulas (blefarite infecciosa ou estáfilococica).

Quando a inflamação acomete as glândulas mais profundas da pálpebra chamada glândulas de meibomius, causam uma doença chamada meibomite.

A meibomite tem os sintomas muito semelhante à blefarite e o mesmo tratamento.

Qual o tratamento para a Blefarite?
Blefarite é uma doença crônica e não tem cura.

No entanto, o tratamento é muito eficaz e relativamente simples, mas se a pessoa parar de fazer o tratamento, em pouco tempo voltará a sentir os sintomas.

Higiene Palpebral
O olho afetado deve ser limpo com suavidade, utilizando uma compressa embebida numa solução específica para limpeza palpebral, disponível nas farmácias ou com shampo neutro infantil.

Essa limpeza também pode ser feita com cotonete no lugar da compressa.

Importante ressaltar que deve-se limpar as pálpebras, bem junto dos cílios e NÃO o olho em si.

Massagem nas pálpebras
A massagem suave da base dos cílios visa drenar as secreções das glândulas.

A massagem deve ser feita com pequenos movimentos circulares e horizontais, durante alguns segundos, sempre depois da compressa morna.

Deve ser feita principalmente pelos pacientes que tem meibomite.

Colírios e Pomadas para Blefarite
Em casos mais graves ou resistentes podemos utilizar antibióticos junto com antiinflamatórios (corticóides) na forma de colírios ou pomadas oftalmológicas.

Devido aos possíveis efeitos colaterais desses medicamentos, essa opção de tratamento só deve ser usada sob orientação de um oftalmologista e por curto período de tempo.

Antibióticos orais (comprimidos) para Blefarite:
Em raros casos a blefarite é muito resistente ao tratamento convencional e pode até comprometer a integridade do olho.
Omega 3 para blefarite ou terçol
A suplementação com ômega 3 demonstrou ajudar na regulação da função das glândulas palpebrais e com isso reduzir a blefarite e a meibomite, além de melhorar o ressecamento ocular.

Pode ser usado na forma de pó ou, de preferência, na forma de drágeas.

A dose recomendada é de 1 grama, 2 vezes por dia, junto das refeições. O ômega 3 é encontrado em alguns peixes (salmão, sardinha) e em algumas sementes (linhaça) e óleos vegetais.

Blefarite ou terçol – Imagens