Como funciona a cirurgia de catarata?

Como funciona a cirurgia de catarata?

A cirurgia de catarata é indicada para pacientes que são afetados pelo problema de visão que é conhecido como catarata. Essa doença consiste na opacificação do cristalino, ou seja, quando o cristalino, lente transparente que recobre o olho se torna opaco, dificultando a visão.

O período no qual a catarata aparece nos pacientes varia de acordo com o tipo da doença. A catarata congênita, por exemplo surge já nos primeiros meses de vida, mas a catarata senil, o tipo mais comum, costuma parecer depois dos 45 anos.

Quando essa doença ocorre, é possível que o paciente apresente dificuldade em enxergar, com borrões, visão amarelada e queixas de que a visão está diminuindo progressivamente também são comuns.

Nós da equipe do Dr. Marcelo Vilar, especialista em oftalmologia em Curitiba, produzimos esse conteúdo para te ajudar a entender sobre a doença, e principalmente sobre o processo da cirurgia. Confira!

Como identificar a catarata

Para identificar o surgimento da catarata é preciso estar atento às mudanças dos seus olhos ao longo dos anos. É preciso estar atento para perceber a perda progressiva da visão e principalmente ao momento em que esta dificuldade se torna uma questão de real dificuldade para cada paciente.

Caso o seu grau esteja sendo alterado com frequência, procure um oftalmologista experiente para que o diagnóstico seja realizado, identificando se o seu caso é ou não catarata.

Como funciona a cirurgia de catarata?

Quando fazer a cirurgia de catarata

O momento correto para realizar a cirurgia de catarata é na verdade quando o paciente sente muita dificuldade para enxergar e quando este problema realmente o incomoda. Não existe um momento correto, quem definirá isso é o paciente em conjunto com o seu oftalmologista.

Alguns exames precisam ser realizados antes do procedimento cirúrgico para entender o quadro atual do paciente. Topografia computadorizada de córnea, ecobiometria, fotografia ocular, microscopia especular da córnea e mapeamento da retina são alguns deles e podem ajudar a avaliar os olhos como um todo.

Escolhendo o especialista em catarata

A escolha do médico que realizará o procedimento é muito importante. Por isso, pesquisar sobre procedimentos já realizado pelo profissional, antigos pacientes do oftalmologista e conhecer suas opções é essencial.

O Dr. Marcelo Vilar é um médico oftalmologista que atende em Curitiba e é especialista em catarata. Com mais de 17.000 cirurgias realizadas, o Dr. Marcelo possui muita experiência e conhecimento para realizar procedimentos de cirurgia de catarata.

O procedimento da cirurgia de catarata

A cirurgia de catarata é realizada sob anestesia local, o que facilita muito o pós-cirúrgico, com o paciente podendo retornar ao seu domicílio logo após o término do procedimento.

Em toda cirurgia de catarata, o objetivo é sempre o mesmo: retirar a catarata como um todo, e substituí-la por uma lente intraocular que pode ser dobrável ou não dobrável.

A escolha do melhor tipo de lente para cada paciente deve ser realizada de acordo com as opiniões do paciente e também do especialista em catarata que irá realizar a cirurgia.

Mas, antes da colocação da lente, é necessário retirar a catarata. Isso é feito através da facoemulsificação, onde é realizada uma micro-incisão na córnea para que haja a inserção de uma ponteira, o facoemulsificador. Assim, é emitido micro-pulsos de ultrassom para pulverizar a catarata, que em seguida é retirada com um micro aspirador.

As lentes intraoculares não-sobráveis

Este tipo de lente é mais rígida, sendo colocada nos olhos através de uma abertura de 6,0 – 7,0mm, precisando de 4 a 5 pontos durante a cirurgia de catarata. A quantidade de pontos pode gerar um pouco mais de desconforto no pós-cirúrgico, e as lentes rígidas apresentam ainda uma maior probabilidade do uso de óculos após a cirurgia.

As lentes intraoculares dobráveis

Também conhecidas como lentes flexíveis, este modelo possibilita que seja dobrada no momento da colocação, e após isso seja posicionada corretamente. Essa dobradura realizada poupa alguns milímetros de incisão na córnea, em geral sendo de 1,7 a 2,2mm, consideravelmente menor do que com as lentes não-dobráveis.

Na maioria dos casos de colocação das lentes dobráveis acaba nem sendo necessário realizar pontos após o término da cirurgia de catarata, o que facilita muito o pós-operatório, poupando os pacientes de diversos desconfortos.

Como funciona a cirurgia de catarata - Imagem 2 | Marcelo Vilar

Lentes flexíveis sendo desdobradas naturalmente após sua inserção.

Possibilidades na cirurgia de catarata

Hoje em dia é possível que no momento da cirurgia de catarata, quando realizada por um especialista em catarata seja inserida uma lente intraocular com proteção UV, para pessoas que sofrem de Degeneração Macular Senil (DMRI). Ainda, é possível escolher lentes monofocais ou multifocais, já solucionando alguns dos problemas refrativos, como miopia ou hipermetropia.

Fazer sua cirurgia de catarata com alguém especializado no assunto faz toda a diferença e pode te trazer muito mais segurança antes, durante e após o procedimento.

Entre em contato conosco e agende sua consulta com o Dr. Marcelo Vilar pelo WhatsApp (41)99616-9915 🙂

Cirurgias refrativas corrigem o grau para sempre?

Cirurgias refrativas corrigem o grau para sempre?

Todo procedimento causa dúvidas, independentemente se é um procedimento simples ou um que exige mais cuidado. E claro, com as cirurgias refrativas não podia ser diferente.

Muitas pessoas têm o sonho de deixar de depender dos óculos, sem precisar deles para enxergar em qualquer momento do seu dia. Nesses casos, a cirurgia refrativa aparece como uma ótima opção de se emancipar dos óculos e se livrar dos graus que dificultam a vida de quem possui erros refrativos.

Nós, da equipe do Dr. Marcelo Vilar decidimos separar algumas informações importantes e rápidas sobre as cirurgias refrativas, inclusive respondendo a principal dúvida que recebemos: o grau pode voltar depois de realizar cirurgias refrativas?

Então, se você quer saber mais sobre o tema, confira nosso conteúdo e não deixe de dar uma olhada no vídeo que deixamos abaixo para te auxiliar nesse tema 😉

A cirurgia refrativa

Este tipo de procedimento é realizado para corrigir erros refracionais que os pacientes apresentem. Casos de miopia, astigmatismo, hipermetropia e até mesmo de presbiopia podem ser tratados com a cirurgia refrativa.

Existem diferentes profissionais que realizam este tipo de procedimento para corrigir erros refracionais. O Dr. Marcelo Vilar é um especialista na área, já tendo realizado diversas cirurgias refrativas em pacientes de diversas idades que cumpriam com os critérios clínicos necessários para que seja possível realizar a cirurgia.

Quem pode fazer a cirurgia refrativa

Para realizar a cirurgia refrativa é necessário cumprir com alguns quesitos clínicos que são solicitados. Entre eles é preciso ter mais de 18 anos e estar com o grau estabilizado durante no mínimo dois anos. Mulheres grávidas não podem realizar o procedimento, devido às alterações oculares que ocorrem pela grande quantidade de hormônio durante o período gestacional.

Em situações onde o paciente já passou por outro tipo de procedimento, chamados de pacientes secundários, como transplante de córnea ou cirurgia de catarata também podem ser submetidos à cirurgia refrativa.

O grau é corrigido para sempre?

Uma das principais dúvidas que recebemos aqui no consultório do Dr. Marcelo Vilar é o questionamento se após o procedimento da cirurgia refrativa é possível que o grau volte. A correção da miopia costuma não ter regressão do problema. Porém, se o grau não estiver totalmente estável antes da cirurgia, as chances de o grau voltar posteriormente aumentam.

Em casos de correções de astigmatismo, hipermetropia e presbiopia é possível que ocorram leve regressões de 15% nos primeiros anos.

Para te auxiliar ainda mais no processo de entendimento da cirurgia refrativa, o Dr. Marcelo Vilar produziu um vídeo com diversas informações sobre o procedimento para trazer com mais facilidade as informações importantes sobre o tema. Confira o vídeo abaixo:

Agende já sua consulta com o Dr. Marcelo Vilar. Ligue para os telefones (41)3310-4225, (41)3310-4202, (41)3310-4277 ou fale conosco pelo WhatsApp (41)99616-9915 e cuide dos seus olhos com um profissional especializado e experiente em saúde ocular.

É de Curitiba? Nos visite no endereço Rua Coronel Dulcídio, 199 – 5º Andar, no bairro Batel.

Grávidas: porquê o grau altera durante a gestação

Grávidas: porquê o grau altera durante a gestação

A gestação é um período repleto de novidades para a gestante. Todo o corpo se altera no processo gestacional e vários detalhes que sempre foram iguais durante toda a vida, começam a se modificar.

Mudanças físicas e emocionais são basicamente inevitáveis, mas algumas grávidas estão sujeitas também às mudanças oculares que este período pode trazer consigo. Não é uma regra que ocorram alterações, mas a quantidade de hormônios presente no período gestacional pode provocar olho seco, visão embaçada e até mesmo aumento ou diminuição do grau da lente.

Muitas pacientes procuram o consultório do Dr. Marcelo Vilar não só durante o período gestacional, mas também antes, para se planejar para a gravidez. Em geral, não há muito com o que se preocupar com relação às mudanças nesse período, mas é sempre bom manter o contato com um oftalmologista, para garantir que a saúde ocular das gestantes fique em dia.

Nossa equipe, em conjunto com o Dr. Marcelo Vilar separou algumas questões que normalmente causam dúvidas, com respostas simples e rápidas, para que você se prepare para esse período sem nenhum medo.

Mudanças hormonais na gestação

Todos os incômodos que surgem nesse período, acontecem na verdade pela alta concentração de hormônios femininos no organismo da mulher e também pelo aumento do volume de sangue que circula nesse período.

Essas alterações mexem muito com o humor das mulheres, a sua disposição no dia a dia e até na saúde ocular, pode ocorrer aumento ou diminuição do grau dos óculos, olhos mais secos ou até mesmo outras características.

Na maioria das vezes essas manifestações são próprias do período gestacional e acabam junto com a gestação. Já em algumas mulheres pode ser que esses sintomas passem completamente despercebidos.

Olho seco na gravidez

Muitas mulheres podem sentir os olhos mais secos durante a gravidez, o que é normal devido à concentração de estrógeno. Leves ardores ou sensações de que existem corpos estranhos nos olhos também podem acontecer.

Maior lacrimejamento e sensibilidade à luz podem ocorrer devido à falta de lubrificação da córnea.

Nesses casos, é preciso cuidar para não permanecer durante muito tempo em locais com ar condicionado e também consultar um oftalmologista para indicar um colírio apropriado para que os olhos não ressequem com tanto intensidade.

Lentes de contato na gravidez

As gestantes podem utilizar lentes de contato normalmente. Porém devido ao aumento natural da espessura e curvatura da córnea neste período, é possível que haja um certo desconforto.

Visão embaçada, perda de nitidez, dificuldade para ler e dirigir e dor de cabeça podem ser indícios de variação do grau da lente. Nós indicamos que a gestante aguarde o nascimento do bebê para se consultar, pois, diversas vezes é apenas um período transitório de mudança no grau. Mas, caso o problema persista e cause dores de cabeça fortes e enjoos, indicamos que marque uma consulta com o Dr. Marcelo Vilar.

Saúde dos olhos na gravidez | Dr. Marcelo Vilar

Miopia na gravidez

Devido ao que falamos anteriormente, é possível que a miopia se agrave durante o período gestacional, assim como o astigmatismo também pode sofrer alterações. No mesmo caso como o anterior, não recomendamos que haja a troca de grau no período gestacional, a menos que o incômodo seja muito grande.

Cirurgias refrativas na gestação

Não se deve fazer cirurgias refrativas durante a gestação. Como o grau é alterado em função dos hormônios, é recomendado aguardar o fim da gestação para que o resultado do procedimento fique correto de acordo com sua necessidade.

Pontos brilhantes na visão: é preciso se preocupar?

Neste caso é necessário manter seu médico informado, pois este é um dos sintomas da pré-eclâmpsia, quadro de hipertensão arterial durante a gestação.

Flashes de luz e as chamadas moscas volantes – pequenas manchas que se movimento no campo de visão – também podem estar presentes nesse período e também podem ser sintomas de pré-eclâmpsia. Por isso, é necessário dar a devida atenção aos sintomas e manter suas consultas todas em dia.

Gestantes diabéticas têm mais problemas de visão?

As situações pelas quais mulheres diabéticas podem passar durante a gestação com relação à saúde ocular depende muito do acompanhamento médico que ela terá. Manter as consultas em dia e fazer exame de fundo de olho é importante, além de evitar o açúcar.

Gestantes diabéticas precisam tomar cuidado dobrado, pois, caso não seja acompanhado o quadro e nenhuma precaução seja tomada, é possível que haja perda parcial ou total da visão. Mas não se assuste! Basta ter acompanhamento de um oftalmologista especialista como o Dr. Marcelo Vilar para manter sua saúde ocular em dia e não correr nenhum risco desnecessário.

Ceratocone e glaucoma antes da gestação

Em mulheres que já apresentam problemas de ceratocone ou glaucoma, é importante que se procure um oftalmologista antes mesmo de engravidar, para minimizar eventuais complicações.

A alta retenção de líquido durante a gravidez pode agravar o ceratocone e o uso indiscriminado de colírios também pode ser prejudicial ao feto. Por isso, procure seu oftalmologista e se mantenha saudável.

Desconfortos após a gestação

Em geral, muitas das alterações que ocorreram durante o período gestacional regridem um ou dois meses após o parto. Depois desse período, é importante agendar uma consulta com o oftalmologista para reavaliar seu quadro oftalmológico e ter indicação do que deve ser feito a partir de então.

Aqui no consultório do Dr. Marcelo Vilar atendemos gestantes que buscam manter a saúde dos olhos durante o período de gravidez. Não descuide dos seus olhos nesse momento tão importante, agende uma consulta com o Dr. Marcelo Vilar pelos telefones (41)3310-4225, (41)3310-4202, (41)3310-4277 ou fale conosco pelo WhatsApp (41)99616-9915.

É de Curitiba? Nos visite no endereço Rua Coronel Dulcídio, 199 – 5º Andar, no bairro Batel.

Mitos e verdades sobre o uso de lentes de contato

Mitos e verdades sobre o uso de lentes de contato

Não é raro hoje em dia pessoas criarem aversões ou simpatizarem com situações, objetos e até pessoas levando em consideração as opiniões e vivencias de outros. E claro que na oftalmologia não podia ser diferente.

Quando se trata da escolha entre óculos de grau e lentes de contato, muitas pessoas acabam por optar por um deles, não levando em conta seu processo de adaptação e o que pode ser mais indicado para ela, mas sim, o que ela ouviu falar sobre o tema.

A melhor opção a se fazer nessa situação onde uma escolha precisa ser feita é pesquisar e ter um conhecimento verdadeiro sobre o tema para pautar o que é melhor para você. Nós da equipe do Dr. Marcelo Vilar queremos te ajudar nesse processo e trouxemos nesse conteúdo alguns mitos e verdades sobre o uso de lentes de contato. 😉

#1 – Usar lentes de contato dá dor de cabeça

MITO. Como primeira coisa que mais ouvimos aqui no consultório aparece o fato de que muitas pessoas pensam que ao utilizar lentes de contato terão dor de cabeça.

Se um paciente visita o oftalmologista e faz todo o procedimento de definição e adaptação às lentes de contato em consultório, não há por que sentir dor de cabeça ao usá-las. Porém, é preciso que tenha o auxílio profissional durante todo esse processo.

#2 – Lentes de contato ressecam

VERDADE. As lentes de contato ressecam com o tempo, e também com o ar condicionado, afinal, elas dependem da lubrificação natural dos olhos. Porém, é possível utilizar colírios lubrificantes para ajudar a aliviar o incômodo rapidamente.

#3 – É preciso higienizar as lentes diariamente

VERDADE. Todas as lentes de contato de uso quinzenal, mensal ou anual precisam de enxágue antes de serem colocadas e de limpeza ao serem retiradas, de manhã ou à noite. É necessário mergulha-las em uma solução multipropósito dentro do estojo de lentes durante toda a noite.

Antes de colocar as lentes de contato na solução multipropósito, pingue algumas gotas do produto na palma da mão e friccione a lente suavemente com a ponta do dedo para retirar a gordura acumulada.

Lentes de contato | Dr. Marcelo Vilar

#4 – Lentes de contato dão trabalho

MITO. É necessária uma rotina com as lentes de contato, porém ela não é trabalhosa. Uma vez incorporada no dia a dia, se torna um hábito muito simples cuidar da higiene e manutenção de suas lentes de contato.

#5 – As lentes podem rasgar

VERDADE. Ao manusear as lentes de contato é necessário ter um certo cuidado, pois dependendo da fricção no momento de limpeza, as que são gelatinosas podem rasgar e as rígidas podem criar rachaduras. Um cuidado é importante.

#6 – Não existe lente para astigmatismo

MITO. O astigmatismo, mesmo que seja combinado com miopia ou hipermetropia pode ser corrigido por lentes de contato.

#7 – Lentes não são tão boas quanto óculos

MITO. Este com certeza é um dos maiores mitos divulgados sobre as lentes de contato. Elas podem ser tão boas ou até melhores do que os óculos, dependendo do caso e adaptação de cada paciente. Na maioria dos casos, inclusive, as lentes de contato corrigem melhor os problemas de visão do que os óculos.

#8 – O uso prolongado de lentes pode causar “calo” no olho

MITO. Lentes feitas com os materiais corretos não causam problema algum aos olhos.

#9 – As lentes de contato podem se perder no globo ocular

MITO. O globo ocular é um sistema fechado e não possui brechas para que as lentes de contato entrem. O que pode acontecer é que a lente de contato fique presa na parte superior ou lateral externa da pálpebra, mas a retirada é simples: basta levantar a pálpebra e tirar. Caso o paciente não consiga, é possível solicitar que um oftalmologista auxilie no processo.

#10 – Quem usa lentes não pode usar colírio

MITO. Pode, e inclusive, deve, principalmente em casos onde o paciente fique durante um tempo prolongado em ambientes com ar condicionado. O colírio correto deve ser indicado pelo oftalmologista.

Colírio lente de contato | Dr. Marcelo Vilar

#11 – Não se pode usar maquiagem com as lentes de contato

MITO. Nenhum produto de maquiagem é proibido com o uso das lentes de contato. Três dicas importantes são: colocar as lentes antes de passar a maquiagem; retira-las na hora de limpar a pele; preferir máscaras de cílio à prova d’água.

As lentes de contato podem ser ótimas aliadas de todos os pacientes. Mas é preciso que alguns cuidados sejam tomados, para que a experiência seja positiva e para que os seus problemas de visão sejam solucionados e não piorados de alguma maneira.

Para isso, consulte um oftalmologista de sua confiança e que seja especializado na saúde de seus olhos. Aqui no consultório do Dr. Marcelo Vilar atendemos inúmeros pacientes, sempre buscando a melhor solução para cada caso, primando pela boa visão de cada um deles.

Agende já sua consulta com o Dr. Marcelo Vilar e conte com um especialista para cuidar da saúde de seus olhos. Ligue para o telefone (41)3310-4225, (41)3310-4202, (41)3310-4277 ou fale conosco pelo WhatsApp (41)99616-9915.

É de Curitiba? Nos visite no endereço Rua Coronel Dulcídio, 199 – 5º Andar, no bairro Batel.

Ceratocone: conheça a prevenção e tratamento

Ceratocone: conheça a prevenção e tratamento

O ceratocone é uma doença que altera o formato natural da córnea, evoluindo para uma forma mais cônica, o que acaba dificultando a visão e afetando a saúde ocular do paciente.

Muitos de nossos atendimentos no consultório do Dr. Marcelo Vilar são de pacientes que apresentam ceratocone e não compreendem muito bem como a doença funciona, como ela evolui e quais são os tratamentos possíveis.

Sendo uma doença progressiva e geralmente bilateral – atingindo ambos os olhos -, o ceratocone dificulta a visão, tornando difícil tanto a visão de perto quanto de longe. Por apresentar sintomas muito similares com os que acontecem em casos de erros refrativos simples, muitas pessoas demoram a identificar o ceratocone.

Para te ajudar nesse processo de prevenção e entendimento dos possíveis tratamentos, nós, da equipe do Dr. Marcelo Vilar produzimos esse conteúdo com tópicos simples e um vídeo que irá te ajudar a compreender todos os pontos. Confira!

O ceratocone

Como abordado acima, o ceratocone é uma doença bilateral progressiva, onde o formato da córnea é modificado, dificultando a visão de diferentes maneiras.

Nesta doença existem diferentes níveis de dificuldade visual, e isso se dá de acordo com a evolução da própria doença. Quanto mais cônico o formato da córnea, mais dificuldade o paciente apresentará para enxergar.

Causas do ceratocone

Quando se trata das causas do ceratocone, nenhuma pesquisa conseguiu definir com 100% de assertividade o que causa a doença ocular.

O fator genético é um dos envolvidos na ocorrência do ceratocone, assim como o hábito de coçar os olhos frequentemente também já foi e ainda é associado ao surgimento e evolução do ceratocone.

Acredita-se que forçar demasiadamente os olhos e os coçar com frequência é capaz de alterar o formato da córnea pouco a pouco, já que essas ações forçam os olhos e podem irritar a córnea e outras estruturas dos olhos.

Prevenção do ceratocone

Algumas das ações defendidas para prevenir o aparecimento e evolução do ceratocone é evitar coçar os olhos e evitar forçar a visão por tempo demasiadamente longo em computadores, celulares, televisões e outros.

Porém, o mais indicado para esse e outros tipos de doenças e problemas oculares é manter as consultas a um oftalmologista em dia e com a frequência correta. Assim, a qualquer sinal de modificação de grau ou qualquer outra anormalidade será identificada por profissionais especializados como o Dr. Marcelo Vilar para encontrar a melhor solução para o seu caso.

Tratamentos para o ceratocone

Os tratamentos possíveis para o ceratocone dependem diretamente do avanço da doença em cada paciente.

Em casos iniciais, onde o ceratocone é leve, utilizar óculos e lentes de contato especiais podem representar uma solução temporária para o problema. Já em casos com ceratocone com nível mediano de avanço, é possível realizar procedimentos como o crosslinking, onde é aplicada riboflavina (vitamina B2) nos olhos, seguido por aplicação de raio UV para fortalecer as moléculas de colágeno, evitando que a córnea continue se curvando.

O implante de anel intraestromal também é possível, e funciona com a colocação de dois arcos de polimetil metacrilato com o auxílio do equipamento FEMTOSECONDLASER, com a intenção de alterar a curvatura da córnea para um formato mais circular.

Em casos mais avançados, onde os procedimentos já não serão mais tão efetivos, é possível ainda fazer um transplante de córnea.

Aqui no consultório do Dr. Marcelo Vilar, realizamos todos os procedimentos citados e já na consulta o Dr. Marcelo Vilar analisa qual a melhor opção de tratamento para cada caso e quais serão os próximos passos.

Confira o vídeo abaixo para entender mais detalhes sobre o ceratocone:

Agende sua consulta com o Dr. Marcelo Vilar e cuide da saúde de seus olhos com um profissional capacitado e experiente. Ligue para os telefones (41)3310-4225, (41)3310-4202, (41)3310-4277 ou fale conosco pelo telefone (41)99616-9915.

É de Curitiba? Nos visite no endereço Rua Coronel Dulcídio, 199 – 5º Andar, no bairro Batel.

Diabetes ocular: o que é isso? Existe tratamento?

Diabetes ocular: o que é isso? Existe tratamento?

A saúde dos olhos é algo muito importante e que precisa de um cuidado especial para garantir que tudo esteja como deve ser. Em pessoas que apresentam diabetes esse cuidado deve ser multiplicado, pois os riscos de doenças oculares são maiores.

Muitos pacientes portadores do diabetes chegam ao consultório do Dr. Marcelo Vilar em Curitiba com dúvidas sobre como se prevenir de doenças oculares, pois sabem que estão em um grupo que apresenta maior risco.

A diabetes ocular muitas vezes chama a atenção e gera maior inquietação do público, pela possibilidade de se perder a visão. Por isso, nós da equipe do Dr. Marcelo Vilar, separamos esse conteúdo para te auxiliar no entendimento destes problemas de saúde e quais são as melhores maneiras de prevenir e controlar as doenças oculares causadas pela dificuldade.

O que é a diabete

Esta é a doença caracterizada pela elevação de glicose no sangue. Quando um paciente apresenta um nível de glicose maior do que o considerado normal e esse quadro persiste, é muito provável que ele esteja enfrentando um caso de diabete.

Defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina são algumas das causas da diabete. A insulina é responsável por promover a entrada da glicose nas células para ser aproveitada nas atividades celulares. Quando essa entrada não ocorre, um quadro de diabete é identificado.

Efeitos da diabetes

Além do desequilíbrio de insulina no corpo, o diabetes também pode ser agravado pela falta de cuidado. Neuropatia diabética, doenças macrovasculares e microvasculares são alguns exemplos de complicações que podem existir.

Ataques cardíacos, complicações renais, complicações nos pés e dentárias podem surgir sem o cuidado necessário da doença. Doenças nos olhos também fazem parte destas complicações que podem ser causadas pela diabete, como vamos mostrar adiante.

Doença ocular diabética

Em casos de diabetes, a doença ocular não afeta apenas uma parte dos olhos, mas sim, tem o potencial de afetar diversas partes, como retina, mácula, cristalino e nervo óptico.

Partindo desse ponto, é possível que um paciente diabético que não realiza o cuidado necessário apresente retinopatia diabética, edema macular diabético (EMD), catarata e glaucoma.

Todas as formas de doença ocular diabética têm o potencial de causar graves perdas da visão e cegueira. Por isso, é essencial manter um cuidado regular dos olhos com um oftalmologista especializado como o Dr. Marcelo Vilar.

Retinopatia diabética

O elevado nível de açúcar no sangue de forma crônica costuma causar danos em pequenos vasos sanguíneos na retina, o que leva a retinopatia diabética.

A retina é responsável por detectar a luz e converter isso em sinais enviados através do nervo ótico para o cérebro. Com a retinopatia, os vasos atingidos podem se romper, causando sangramento, o que acaba por causar diminuição ou anulação da visão.

Em fases mais avançadas é possível que os vasos sanguíneos se formem de maneira irregular na superfície da retina, levando a sangramentos, formação de cicatrizes e tração da retina, a retirando da posição correta.

Dentro da retinopatia diabética existem quatro estágios de agravamento, com retinopatia proliferativa leve, retinopatia proliferativa moderada, retinopatia proliferativa grave e retinopatia diabética proliferativa (PDR), todas com diferentes impactos. O grau de retinopatia pode ser identificado pelo Dr. Marcelo Vilar em seu consultório, bem como, dado um tratamento para o caso.

Doenças oculares diabetes | Dr. Marcelo Vilar

Edema Macular Diabético (EMD)

Esta doença é na verdade o acúmulo de líquidos (edema) em uma região da retina chamada de mácula. A mácula é essencial para a visão afiada, ela é usada para ler, reconhecer rostos e dirigir, por exemplo.

O Edema Macular Diabético é a causa mais comum de perda de visão em pessoas que apresentam retinopatia diabética, podendo acontecer em qualquer fase da doença. O EMD é uma complicação da retinopatia diabética, e pode se apresentar meramente como um problema de visão comum, pois causa visões turvas. Por isso a importância de consultar um oftalmologista a qualquer sinal de problema de visão.

Catarata diabética

A catarata é o processo de opacificação da lente dos olhos, e em casos de diabetes os pacientes possuem de 2 a 5 vezes mais propensão de apresentar catarata, e com evolução mais acelerada.

Hoje a catarata é a principal causa de perda de visão em diabéticos no Brasil, mas apesar da grande frequência da catarata em pacientes diabéticos, é possível resolver o problema visual com cirurgia de catarata. No consultório do Dr. Marcelo Vilar, em Curitiba, tratamos casos de catarata diabética, com cirurgias de restauração da visão.

Catarata diabética | Dr. Marcelo Vilar

Glaucoma

O glaucoma é na verdade um conjunto de doenças que danificam o nervo ótico dos olhos – um feixe de fibras neurais que tem a função de ligar o olho ao cérebro. Alguns tipos de glaucoma são associados com a pressão elevada no interior do olho.

Em adultos, o diabetes é capaz de quase duplicar o risco da ocorrência de glaucoma. O uso de corticosteroides nos olhos amplia o risco de que doenças como catarata e glaucoma ocorram nos pacientes.

Tratamentos para diabete ocular

Ainda hoje a melhor maneira de tratar a diabetes ocular é focando na prevenção. Por isso a importância de manter uma rotina frequente de consultas com um oftalmologista especializado para ter sua saúde dos olhos em dia.

Como alguns dos sintomas das doenças oculares causadas pela diabetes se assemelham muito aos problemas refrativos comuns, é necessário ter um olhar atento e especializado às mudanças na normalidade de seus olhos.

Existem diferentes tratamentos para cada tipo de doença ocular diabética. Em casos de retinopatia diabética avançada, que causa pontos flutuantes de hemorragia na visão, existe a necessidade de tratamento imediato com cirurgia a laser ou fotocoagulação para livrar os olhos das manchas presentes.

Em casos de Edema Macular Diabético é possível realizar o tratamento com injeções Anti-VEGF, injetado no gel vítreo para bloquear a proteína que é o fator causador do crescimento endotelial vascular, responsável por estimular os vasos sanguíneos anormais a crescer e vazar fluído.

O melhor tratamento é sempre apontado por um oftalmologista especializado, de acordo com o seu caso, evolução das doenças e histórico médico. Aqui no consultório do Dr. Marcelo Vilar todos os pacientes recebem um atendimento individualizado, levando em consideração todos os fatores do caso de cada paciente, para chegar ao melhor tratamento de acordo com as necessidades.

Agende já sua consulta com o Dr. Marcelo Vilar pelos telefones (41)3310-4225, (41)3310-4202, (41)3310-4277 ou então pelo WhatsApp (41)99616-9915.

É de Curitiba? Nos visite no endereço Rua Coronel Dulcídio, 199 – 5º Andar, no bairro Batel. Estamos te esperando! 😉