web analytics

Pterígio

Apesar do nome complexo, o pterígio é uma doença ocular comum que pode ser tratada evitando maiores problemas para o paciente. Em geral, o pterígio causa incômodo não só clínico, mas também estético, pois é um problema que pode ser visualizado por outras pessoas a olho nu. Estes fatores combinados, fazem com que os pacientes procurem tratamento com oftalmologistas especializados com mais rapidez.

Causas do pterígio

Existem muitas controvérsias em relação à etiologia e patogênese do pterígio. A radiação ultravioleta – UV (principalmente quando ocorre em jovens e persiste por 2 ou 3 décadas) e a irritação crônica têm sido postulados como fatores causais principais. O hábito de cocar os olhos, vento e fatores genéticos tem sido proposto como fatores causais.

As características e os danos provocado pelo pterígio variam de acordo com seu estágio de evolução. Em sua forma inicial, observam-se um pequeno crescimento da conjuntiva em direção à córnea, podendo causar nesse estágio, pequenas inflamações e hiperemia da conjuntiva. Nos estágios mais avançados, onde o pterígio já está maior, observa-se o crescimento e espessamento da conjuntiva, em direção e invadindo a superfície da córnea, podendo ocorrer danos na visão. Um exemplo disso é quando o pterígio começa a ultrapassar em 3-4 milímetros a região entre conjuntiva e córnea, podendo alterar a curvatura corneana, causando o astigmatismo

Sintomas - Pterígio | Dr. Marcelo Vilar

Quais os sintomas do pterígio?

O principal sintoma do pterígio é a vermelhidão do olho. Essa vermelhidão é principalmente no canto do olho, próximo do nariz. Além disso, também ocorre ardência, lacrimejamento, fotofobia, dificuldade em manter os olhos abertos na claridade e sensação de areia nos olhos.

O pterígio pode prejudicar a visão?

Sim. O pterígio pode prejudicar a visão de duas formas. A primeira é tracionando a córnea e consequentemente, distorcendo a formação das imagens, provocando astigmatismo. A outra forma é quando ela tampa o eixo visual, isto é, cobre a região correspondente da pupila (também chamada de “menina dos olhos”).

Qual é o tratamento do pterígio?

O tratamento do pterígio nas formas iniciais é apenas com colírios lubrificantes e/ou vasoconstritores para aliviar os sintomas e diminuir a vermelhidão. Mas quando a doença aumenta, o único tratamento possível é a cirurgia.

Como é a cirurgia do pterígio?

A cirurgia utiliza a própria conjuntiva (transplante) do paciente na grande maioria das vezes, ou membrana amniótica preservada em alguns casos especiais para preencher o espaço vazio criado pela remoção do pterígio.

Neste procedimento, o pterígio é removido cirurgicamente e em seguida a própria conjuntiva (o transplante) é colada com cola orgânica de fibrina ( menor inflamação e risco de recidiva) ou suturado ( pontos ) no local que se encontrava o pterígio, para reduzir o estimulo de crescimento fibrovascular local.

Algumas vezes, se utiliza medicação (mitomicina) diluída para modular a cicatrização.

É preciso dar pontos na cirurgia de Pterígio?

Em geral é necessário dar pontos na cirurgia de pterígio, para fixar os “enxertos” (conjuntiva ou membrana amniótica) colocados. No entanto, em alguns lugares, já é usado uma cola biológica que gruda esses enxertos e evita a necessidade dos pontos. Isso é a cirurgia de pterígio sem pontos.

No vídeo abaixo é possível ver uma cirurgia de pterígio. A cirurgia não foi feita por nós, mas é possível ver a retirada do pterígio, a retirada da conjuntiva sadia que vai ser usada como transplante e a sutura com pontos.

Dúvidas? Clique aqui
Comece uma conversa

Cadastre-se para começar uma conversa no WhatsApp

A nossa equipe responde rapidamente de segunda a sexta-feira, das 8h as 19h.