O ceratocone é uma doença não-inflamatória, progressiva e bilateral dos olhos. Nela, o formato da córnea é afetado, adotando um formato cônico conforme o tempo vai passando.

Essa deformação da córnea afeta a qualidade visual do paciente, tornando as imagens distorcidas ao passar pela córnea, o que provoca alterações na visão das pessoas com ceratocone. Essas alterações podem ser lidas como miopia e astigmatismo se não tiverem uma análise de um profissional especialista.

Com o passar dos anos, o ceratocone, que era uma doença pouco falada e também pouco compreendida, vem ocupando um local cada vez maior na discussão da saúde ocular, inclusive com novas pesquisas sendo realizadas com certa constância.

Neste cenário, é preciso compreender como funciona a doença, mas também quais são os tratamentos possíveis para ela. Por isso, nós, da equipe do Dr. Marcelo Vilar produzimos este conteúdo para que você possa compreender com mais detalhes quais são suas opções.

O ceratocone

Como já foi dito, o ceratocone é uma doença progressiva e bilateral. No começo de seu aparecimento não apresenta sintomas. Porém, com o passar do tempo, a troca constante do grau refrativo pode ser um sinal de ceratocone.

Para obter um diagnóstico correto do seu problema ocular, é necessário que sejam realizados exames mais específicos, como topografia e tomografia de córnea. Esses exames serão utilizados para identificar o grau de curvatura da sua córnea e também onde é o ponto de maior pico.

Tratamentos para casos de ceratocone

O tratamento ideal para cada caso de ceratocone dependerá muito do estágio da doença em cada paciente. Em casos mais leves, iniciais, apenas o uso de óculos e lentes de contato podem ajudar.

Porém, em casos medianos ou mais avançados, procedimentos cirúrgicos são necessários. Para estes casos, o crosslinking da córnea, implante de Anel de Ferrara e até mesmo o transplante de córnea são opções de tratamento.

A escolha do tratamento ideal para cada caso deve ser feito com o acompanhamento de um especialista em ceratocone, para que haja mais segurança e assertividade no resultado.

Crosslinking da córnea

O crosslinking é um procedimento cirúrgico realizado para aumentar a rigidez da córnea, impedindo que o ceratocone continue progredindo. Apesar de muito útil, é importante falar que este tratamento é utilizado principalmente para impedir a evolução da doença, e não para curá-la permanentemente.

No crosslinking o tratamento se inicia pela anestesia, aplicada por meio de colírio. É removido o epitélio da córnea (células da superfície corneana que se regeneram após o procedimento) para que seja possível a penetração da Riboflavina (Vitamina B2) na córnea.

A Riboflavina é aplicada com o intuito de aumentar a rigidez da córnea, e após esta etapa de colocação da Vitamina B2, que é em formato de colírio também, é aplicado uma luz UV-A por 30 minutos.

Cirurgias de ceratocone: quais são os tipos - Imagem 1 | Marcelo Vilar

O procedimento como um todo dura cerca de 1 hora e termina com a colocação de uma lente de contato terapêutica que funcionará como um curativo enquanto o epitélio faz sua cicatrização.

Implante de Anel de Ferrara

O implante de Anel de Ferrara é outro procedimento cirúrgico, no qual é colocado anéis, que são segmentos semicirculares, de espessuras variáveis para cada caso, com 5mm de diâmetro.

Este procedimento é indicado principalmente aos portadores de ceratocone, pois é capaz de controlar o desenvolvimento da doença ao impedir que a córnea continue a alterar sua curvatura.

Cirurgias de ceratocone: quais são os tipos - Imagem 2 | Marcelo Vilar

Assim como o procedimento de crosslinking, o Anel de Ferrara também é uma cirurgia que é utilizada para frear a evolução do ceratocone, e não para curar a doença.

Transplante de córnea

Já o transplante de córnea aparece ainda hoje como a única opção de procedimento cirúrgico capaz de solucionar casos de ceratocone. Nele, a córnea afetada pela doença é retirada, e é colocada uma nova córnea em seu lugar.

Este procedimento cirúrgico depende de um doador de córnea, e todo o procedimento deve ser realizado por um profissional especialista, evitando complicações no processo.

Quanto maior a técnica e melhor a córnea doadora tenha sido preparada no Banco de Órgãos, melhor será o resultado do procedimento.

Cirurgias de ceratocone: quais são os tipos - Imagem 3 | Marcelo Vilar

Este é o único procedimento capaz de solucionar permanentemente casos de ceratocone. Muitos pacientes hesitam em optar por esta solução, por se tratar de uma cirurgia um pouco maior e mais delicada, porém, se realizada com o especialista em transplante de córnea correto, nada se deve temer.

Conte com um oftalmologista experiente e de sua confiança. Fale conosco pelo WhatsApp (41)99616-9915 e agende sua consulta com o Dr. Marcelo Vilar 😉