Catarata

A catarata é o processo da perda da transparência do cristalino, a lente natural do olho.

Catarata – Causas, sintomas e tratamentos

A catarata é o processo da perda da transparência do cristalino, a lente natural do olho. Normalmente o cristalino é incolor e transparente e tem como objetivo focalizar os objetos que enxergamos. Com a opacificação desta lente, as imagens captadas pelo olho perdem sua nitidez e qualidade. Esse problema acomete milhões de pessoas e é a maior causa de cegueira no mundo e que felizmente pode ser tratada pelo processo de cirurgia de catarata, tratamento realizado pelo oftalmologista Dr. Marcelo Vilar, em Curitiba.

O que é catarata e como funciona a cirurgia de catarata?

A doença pode ser congênita, senil ou secundária. Na Catarata congênita, a criança nasce ou desenvolve a opacificação nos primeiros meses de vidas. Geralmente são causadas por doenças adquiridas pela mãe durante a gravidez com rubéola, toxoplasmose e outras.

A Catarata senil é a mais frequente e geralmente aparece acima dos 50 anos, como parte do processo de envelhecimento natural do corpo.

A catarata secundária ocorre por alterações metabólicas do cristalino, opacificando-o. As causas mais comuns deste grupo são diabetes, uveítes, traumas, excesso de radiação (UV ou outras), abuso de colírios com corticoides, choque elétrico e outras causas mais raras.

A cirurgia da catarata é o tratamento indicado para tratar a doença, onde o cristalino opacificado é “emulsificado” e é implantado uma lente intraocular para substituí-lo.

O Dr. Marcelo Vilar é especialista em cirurgias de catarata e atua em Curitiba.

Sintomas da catarata

Os sintomas da catarata são variáveis, porém os mais comuns iniciam-se com queixas de que a visão está diminuindo progressivamente para longe e os objetos podem aparecer nebulosos e/ou amarelados e/ou ter seu formato deformado, parecendo que os óculos estivessem sempre sujos ou embaçados.

Muitas pessoas acham que necessitam de mais luz para ver claramente, as cores ficam menos vivas e halos de luz em ambientes escuros são comuns.

Você também pode gostar de:
Perguntas sobre Cirurgia de Catarata em Curitiba
Cirurgia de catarata: principais dúvidas respondidas

Exames

Topografia computadorizada de córnea: a Topografia Computadorizada da Córnea analisa a curvatura da córnea, permitindo identificar astigmatismos e outras irregularidades corneanas.

Ecobiometria: a ecobiometria é o exame capaz de medir o comprimento axial do globo ocular e de suas estruturas (câmara anterior, cristalino, cavidade vítrea), utilizando uma sonda com ondas de ultrassom. Este é o principal exame oftalmológico para calcular o grau da lente intraocular implantada na cirurgia de catarata pelo Dr. Marcelo Vilar, que atua em Curitiba.

Fotografia Ocular – Verion System: esta “impressão digital” do olho serve para registrar e rastrear o olho durante todo o procedimento, fornecendo uma referência visual que auxilia e guia o cirurgião. Indica onde serão realizadas as incisões durante a cirurgia de catarata e do posicionamento correto das lentes intraoculares, quando necessário, principalmente, no caso de astigmatismo ou de lentes multifocais.

Microscopia Especular da Córnea: permite realizar a contagem do número de células endoteliais da córnea e analisar o aspecto das mesmas, identificando qualquer degeneração ou atrofia do tecido.

Mapeamento de retina: faz a avaliação da retina – região da parte posterior e do nervo óptico.

Cirurgia de catarata

O único tratamento eficaz para este problema é a cirurgia de catarata. Até hoje não se conhecem quaisquer medidas eficazes para prevenir o surgimento de catarata. Não há medicamentos, colírios, exercícios ou óculos que curem a catarata.

A cirurgia de catarata é realizada sob anestesia local o que permite ao paciente retornar ao seu domicílio logo após o término da cirurgia. O Dr. Marcelo Vilar é especialista na cirurgia de catarata, tendo realizado diversas cirurgias, com seu atendimento em Curitiba. O pós-operatório da cirurgia de catarata é simples e consiste em tratamento local à base de colírios.

Neste processo, a catarata ao invés de ser retirada por inteiro, é toda fragmentada em minúsculos pedaços através de ondas de ultrassom, fazendo simultaneamente a emulsificação e a retirada por meio de sucção dos fragmentos.

Após a retirada de toda a catarata, é implantada uma lente intraocular, que pode ser dobrável ou não-dobrável. Na grande maioria dos casos, a recuperação da visão ocorre logo nas primeiras 24 horas e o resultado é facilmente percebido.

As lentes-intraoculares para cirurgia de catarata

Lentes Não Dobráveis (Não Flexíveis).

Por suas características de rigidez, a abertura realizada nos olhos, para o implante da lente precisa ser de 6,0 -7,0 mm. Para fechar esta abertura são necessários 4 ou 5 pontos durante a cirurgia de catarata. Os pontos podem gerar um maior desconforto (sensação de areia) e uma baixa da visão nas primeiras semanas após a cirurgia, em decorrência do astigmatismo induzido (irregularidade da córnea), sendo que a probabilidade do uso de óculos após a cirurgia com lentes rígidas é maior do que com lentes dobráveis. Vale a pena ressaltar que quanto maior a abertura realizada no olho, maior o risco de infecções e mais demorado o tempo de recuperação pós-operatório.

Lentes Dobráveis (Flexíveis) – Incisão feita para colocação da Lente Dobrável

Tais lentes são fabricadas com uma material de acrílico flexível e são dobradas e colocadas no olho por meio de um injetor, através de uma pequena incisão na córnea, em geral de 1,7 a 2,2 mm. Dentro do olho, estas lentes se desdobram naturalmente. Na maioria dos casos, não são necessários pontos ao término da cirurgia de catarata, tornando o pós-operatório mais rápido e confortável. Dentro do grupo de lentes flexíveis, temos também a opção de corrigir erros refrativos (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia), juntamente na cirurgia de catarata.

Lentes intraoculares e filtro Ultra-Violeta (UV)

Recentemente tem-se estudado a relação dos raios de luz de comprimento de onda azul e sua relação com a Degeneração Macular Senil (DMRI). Sendo assim, foi lançada uma nova lente infra-ocular de acrílico dobrável amarela que tem as seguintes características:

A coloração amarela lembra a proteção natural fornecida pelo cristalino humano amadurecido fornecendo uma proteção adicional, tanto contra os raios UV invisíveis quanto aos raios azuis visíveis. Acredita-se que esta proteção adicional possa ajudar a prevenir a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), uma condição que deteriora a Visão Central.

Tipos de lentes dobráveis para cirurgia de catarata

Lentes Monofocais Simples

As lentes monofocais simples (SEM FILTRO ULTRA-VIOLETA – UV) são implantadas por uma abertura de 2,2 mm. Proporcionam boa qualidade visual, porém os pacientes geralmente necessitam usar óculos para as atividades de perto, por exemplo, para leitura e/ou bordados. Ocasionalmente também, são necessários óculos para longe após a cirurgia.

Com as lentes monofocais asféricas (APRESENTAM FILTRO UV) é utilizada uma microincisão de 2,0 a 2,2 mm . Existe a necessidade de óculos após a cirurgia para perto, porém a qualidade visual de longe é superior as asféricas simples, principalmente para visão noturna.

Lentes Monofocais Tóricas

As lentes monofocais tóricas são lentes dobráveis asféricas, indicadas para pacientes que apresentam astigmatismo, pois têm a capacidade de corrigi-lo. Elas apresentam filtro UV.

Lentes Asféricas Multifocais

As lentes multifocais asféricas são mais modernas e permitem boa visão para longe e perto sem o uso de óculos e apresentam filtro UV. Os pacientes com lentes multifocais podem dirigir, assistir à TV, ler jornais e praticar esportes sem óculos. Vale ressaltar que durante algumas semanas, alguns pacientes se queixam de halos e glare, além de pequena dificuldade para focar em algumas situações, mas que melhora conforme evolui a cicatrização. Aproximadamente 95% dos pacientes deixam de usar óculos após a cirurgia de catarata.

Técnicas da cirurgia de catarata e tecnologias utilizadas

Laser Femtosegundo:

O aparelho  denominado LenSx Laser, é um sistema integrado guiado por imagem, emissor de laser de FEMTOSEGUNDOS projetado especificamente para cirurgia de catarata com plataforma cirúrgica 3-D modificável que possibilita a visualização, personalização e execução das  etapas mais importantes da cirurgia de catarata:

1- Capsulotomia anterior;

2- Corte do núcleo do cristalino;

3- Execução das incisões na córnea.

O equipamento usa energia concentrada com raio de laser muitos rápidos, com isso o laser atravessa as estruturas transparentes do olho e quando alcança o ponto focal, cria uma pequena formação de plasma/ energia  que gera o corte do tecido. Pelo sistema de posicionamento TRIDIMENSIONAL E TRIORGONAL do aparelho, consegue-se otimizar e personalizar a cirurgia, de acordo com cada caso, permitindo fazer ajustes com um microm de precisão, permitindo obter resultados superiores.

Facoemulsificação:

1 – Inicialmente será realizada a anestesia (colírios e sedação), a seguir uma micro-incisão  de apenas 2,2 milímetros na córnea do paciente, dentro deste orifício será introduzido um equipamento de titânio, parecido com uma ponteira de caneta conhecido como facoemulsificador. Essa ponteira emite  micro-pulsos de ULTRASSON que vibra numa freqüência de aproximadamente 45 mil vezes por segundo, nessa velocidade o facoemulsificador pulveriza a catarata, assim o cirurgião irá retirar a catarata cuidadosamente através de um micro aspirador de alta precisão

2 – Após a remoção completa da catarata será introduzida a lente intra ocular, que irá substituir o cristalino. O tipo de lente que será utilizado é importante para o resultado final da cirurgia, pois essa lente irá cumprir o papel da lente natural do olho (cristalino). A escolha da lente intra-ocular mais adequada para cada caso é fundamental para a visão do paciente.

Em pouquíssimo tempo depois da cirurgia o paciente já irá perceber melhora na visão.

Sistema Verion:

O Sistema de Imagem Verion  é um sistema projetado para oferecer o máximo de precisão, consistência e controle no planejamento e execução das cirurgias de catarata.

Pacientes com catarata buscam cada vez mais por melhores resultados visuais, com o objetivo, inclusive, de abandonar os óculos após uma cirurgia de catarata. Por isso, nunca foi tão importante trabalhar de forma assertiva para reduzir o erro refrativo com lentes intraoculares de alta tecnologia e com dispositivos que ajudam a posicionar as lentes perfeitamente de acordo com a necessidade de cada paciente.

A partir de imagens minuciosas do olho de cada paciente, o Sistema Verion ajuda o cirurgião a planejar cada etapa da cirurgia de catarata.

Esta “impressão digital” do olho servirá para registrar e rastrear o olho durante todo o procedimento, fornecendo uma referência visual que auxilia e guia o cirurgião. O sistema indica onde serão realizadas as incisões, marcações da capsulotomia – técnica usada para remover o cristalino – e do posicionamento correto das lentes intraoculares, principalmente, no caso de astigmatismo ou de lentes multifocais. Durante cada etapa da cirurgia o Verion faz ajustes em tempo real, conforme o olho do paciente se movimenta, garantindo um resultado final ainda mais preciso.

Ngenuity 3D:

O NGENUITY 3D, permite que cirurgiões oftalmológicos operem olhando uma tela 3D de altíssima definição, profundidade de imagem, clareza e contraste de cor. Com a visão tridimensional, O Sistema de Visualização NGENUITY 3D é composto por vários elementos, nomeadamente uma câmera de Alta Rango Dinâmico (HDR) que oferece excelente resolução, profundidade de imagem, clareza e contraste de cores, ampliar seu campo de visão, além de usar filtros digitais para personalizar sua visão durante cada procedimento, destacando estruturas oculares e camadas de tecido.

CATARATA

Cuidados pré e pós-operatório da cirurgia da catarata

1. CUIDADOS Pré-operatórios:

– Trazer todos os exames  e guias solicitadas ( quando convênios),
– Não usar nenhuma maquiagem ou creme no rosto no dia da cirurgia.
– Tomar banho e lavar bem a cabeça e o rosto.
– Chegue apenas na hora agendada, não precisa chegar antes
– É importante estar acompanhado a um adulto ao vir e ao deixar o hospital.
– Não traga relógios, brincos, colares.
– Última refeição 6 horas antes da cirurgia.
– Se estiver tomando algum remédio, mantê-los conforme recomendação da consulta .
– Avisar  a equipe e médico caso  estiver com algum problema clínico ( p. ex., tosse, febre ).

2. CUIDADOS Pós-operatórios:

– A anestesia é colírios : não precisa de curativo oclusivo.
– Iniciar os colírios, assim que chegar  em casa ou  conforme orientação médica.
– No primeiro dia após a cirurgia,  faça repouso.
– Usar os medicamentos receitados na dose e hora correta. Não alterar, nem parar sem a ordem do médico.
– Lave as mãos antes de pingar os colírios. Evitar ambientes com poeira, animais ou agentes que podem provocar prurido nos olhos.
– Na claridade, use óculos de sol, eles ajudam no sol e protegem de possíveis traumas.
– Use somente lenços descartáveis.
– Em caso de dor e olho vermelho  ou qualquer outro tipo de sintoma, comunicar-se com o médico.