30 de outubro de 2013

Olho Seco

Olho seco é um termo usado para descrever um grupo de diferentes doenças e condições que resultam da umidade e lubrificação inadequadas do olho, por baixa produção de lágrimas ou por má qualidade do filme lacrimal.

Quando piscamos é formado um filme lacrimal. A síndrome do olho seco ocorre com o rompimento prematuro deste filme, deixando expostos à atmosfera o epitélio conjuntival e corneano.

Há várias anormalidades diferentes que podem causar o olho seco, tais como diminuição da produção de lágrimas, evaporação excessiva, problemas com o piscar,doenças sistemicas etc…

Fatores que podem contribuir com o desenvolvimento de olho seco:

Causas ambientais: o clima seco, vento, poluição ou contaminação ambiental, lugares fechados, calefação, ar condicionado e radiação dos monitores de computador podem aumentar a evaporação e causar olho seco;
Medicamentos: certos medicamentos podem diminuir a capacidade do organismo de produzir lágrimas ( Roacutan);
Disfunções hormonais: menopausa, tireoidite de Hashimoto;
Lentes de contato: o uso de lente de contato pode (por vários mecanismos) agravar ou provocar o olho seco;
Lesões traumáticas, inflamatórias ou malignas das glândulas lacrimais;
Fatores nutricionais: desnutrição, deficiência de vitaminas C e B12

25

Sintomas do olho seco:

Dor ocular, sensação de corpo estranho;
Sensação arenosa ,ardor ou queimação;
Olhos vermelhos,  sensibilidade à luz;
Visão de halos coloridos;
Olhos lacrimejantes ( mecanismo de compensação);

Doenças oculares associadas, como blefarite, meibomites e anormalidades nas pálpebras, também podem contribuir significativamente para o desconforto do paciente.

26 27

Tratamento do Olho Seco

O tratamento do olho seco depende da causa.. Os substitutos lacrimais (lubrificantes oculares) são os tratamentos mais utilizados e têm se mostrado eficazes, independentemente da causa do olho seco. O objetivo é aumentar a umidade da superfície ocular e melhorar a lubrificação através de lubrificantes (colírio ou pomada).Em casos severos, pode ser necessária a intervenção cirúrgica.

Tipos de substitutos lacrimais

Veiculos que podem aliviar o desconforto causados pelo olho seco.

Gotas

Os lubrificantes na forma de gotas são de longe os mais usados, pois são fáceis de aplicar e mais parecidos com a lágrima natural;

28

Gel

Apresenta conteúdo de água menor do que as gotas e maior retenção no olho, contudo, pode provocar algum borramento na visão. É aplicado geralmente na pálpebra inferior e depois espalhado gentilmente com o olho fechado;

Pomadas

São preparações semissólidas, com menor quantidade de água e um componente gorduroso. São recomendadas para pacientes no pós-cirúrgico de Oftalmologia.

Como deve ser a lágrima artificial ideal?

Deve ser confortável na sua aplicação e não apresentar efeitos colaterais, como por exemplo embaçamento ou distorção visual. Além disso, deve possuir um conservante ( substância utilizada para manter o colírio no frasco de modo estéril, ou seja, sem contaminação) que não seja tóxico para a superfície do olho e que tenha uma composição química semelhante ao da lágrima natural.

Quais são os efeitos adversos das lágrimas artificiais?

Os efeitos adversos estão diretamente associados ao conservantes. Quando o uso do colírio é crônico (contínuo), dependendo do conservante, este pode ter um efeito cumulativo nos olhos, podendo lesar a superfície da córnea, que é extremamente sensível, gerando um certo desconforto ao usuário. Desse modo, o conservante ideal é aquele que atua apenas na proteção do produto, prevenindo contaminações, mas quando aplicado nos olhos não cause qualquer efeito tóxico.

Usuários de lentes de contato podem utilizar lágrimas artificiais?

Sim, desde que o seu conservante permaneça o menor tempo possível na superfície ocular, pois as lentes de contato aumentam o tempo de retenção do mesmo, podendo levar a um desconforto alem de diminuir o tempo de vida media (duração) das lentes de contato.

TRATAMENTO CIRURGICO