30 de outubro de 2013

Cirurgia Refrativa à Laser

Nossos olhos representam 75% do sentido humano, então nada mais importante do que ter uma boa qualidade visual. A Cirurgia Oftalmológica por laser é uma das mais importantes contribuições para a oftalmologia nos últimos tempos. O LASER pode ser usado em várias partes do olho e tem ajudado a tratar diversas doenças oculares.

 

 

Clique aqui e faça um TESTE VIRTUAL PARA saber se você está apto para a CIRURGIA A LASER

 

 

A córnea é a parte transparente do olho, que está na frente da íris (parte colorida) e da pupila (bolinha escura). É composta de várias camadas, e, junto com o cristalino, foca a luz na retina. Esta passagem da luz do meio externo para o interior do olho é conhecida como refração. Quando ocorrem desvios neste trajeto dos raios luminosos surgem os erros de refração: miopia, hipermetropia e astigmatismo.

O excimer laser é um instrumento computadorizado de alta precisão que usa luz ultravioleta invisível para realizar cirurgias na córnea. Essa luz não provoca praticamente nenhum dano aos tecidos adjacentes, o que aumenta a segurança do procedimento. Cada pulso do raio laser remove uma quantidade minúscula de tecido corneano – aproximadamente 1/500 da espessura de um fio de cabelo humano.

A Cirurgia refrativa é o nome dado às cirurgias para corrigir MIOPIA, HIPERMETROPIA, ASTIGMATISMO E PRESBIOPIA.

Os erros de refração

MIOPIA:

Dificuldade para enxergar longe. Miopia é a condição onde o olho se apresenta com uma curvatura corneana muito acentuada ou com o comprimento do olho acima do normal, levando a formação da imagem antes da retina, com conseqüente baixa de visão para LONGE. Cerca de um quarto da população brasileira é afetada pela miopia.

Imagine acordar e ser capaz de ver as horas sem dificuldade.

Para quem tem boa visão pode parecer estranho, mas para os míopes, procurar os óculos ou colocar as lentes de contato é a primeira tarefa diária.

HIPERMETROPIA:

Dificuldade para enxergar principalmente para PERTO e em graus maiores, tambem para longe.  A hipermetropia é o contrário da miopia, ou seja, a imagem dos objetos é focada atrás da retina. Na hipermetropia o olho se apresenta muito curto ou  com uma córnea muito plana.

ASTIGMATISMO:

Dificuldade para enxergar de LONGE  e de PERTO, conforme se associe à miopia ou à hipermetropia. O astigmatismo é uma deformidade na curvatura da córnea, proporcionando que o foco de uma imagem se forme em várias posições  diferentes na retina.

TÉCNICA CIRURGICA:

PRK:

É uma abreviação de Photorefractive Keratectomy, que é o mesmo que Ceratectomia-Fotorefrativa. Nesta técnica, o cirurgião programa o Laser para  ESCULPIR  as  camadas superficiais de tecido corneano.
Com a mudança da curvatura da córnea, os problemas refrativos  são reduzidos. O PRK proporciona altíssimo nível de segurança, especialmente em paciente com córneas mais finas ou leves alterações em sua curvatura.

Nas primeiras semanas após a cirurgia a visão fica relativamente embaçada por um período que varia de 6 a 15 dias sendo comum certo desconforto ocular, até que o epitélio cicatrize na área tratada. Nesta técnica usamos Lente de Contato terapêutica por 5-6 dias.

Este procedimento aprovado nos Estados Unidos pelo FDA (Food and Drug Administration) e no Brasil pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), já tendo tratado mais de 1 milhão de pessoas só nos Estados Unidos.

LASIK:

Abreviação do ingles de Laser in-Situ Keratomileusis. O Laser é aplicado nas camadas intermediárias da córnea, sendo a camada superficial preservada na forma de uma lentícula (FLAP) que será recolocada imediatamente após a aplicação do laser. Em geral, não há necessidade do uso de lente de contato terapêutica.
Como a cirurgia é realizada nas camadas internas da córnea , há uma menor cicatrização e inflamação, com isso, um menor desconforto pós-operatório e recuperação visual mais rápida ( 24 horas). O tempo de aplicação do laser é  de 10-20 segundos por olho, corrigindo até 10 graus de miopia, até 6 graus de hipermetropia e até 7 graus de astigmatismo. O paciente vai para casa imediatamente após o procedimento, usando apenas óculos escuros ou protetores de plástico transparente.

A confecção do flap pode ser realizado de 2 maneiras: Uma com um aparelho chamado MICROCERÁTOMO, que utiliza uma lâmina afiadissima que delamina a córnea . Outra forma de  se realizar o flap é através do laser de FEMTOSECOND, com o Laser é possivel fazer um flap personalizado em sua espessura e diâmetro , com grande precisão e segurança, assim proporcionando maior reprodutibilidade  nos resultados.

Cirurgia Refrativa – PERSONALIZADA – tecnologia “WAVEFRONT” (frentes de onda)

Atualmente, o excimer laser a ser aplicado para a cirurgia de correção de grau, deixou de ser CONVENCIONAL, ou seja, com aplicação igual para todos os casos, e tornou-se PERSONALIZADO devido à tecnologia de frentes de onda.  Frentes de onda ou “Wavefront” é a denominação do exame que detecta imperfeições do sistema óptico como um todo,  fazendo com que haja uma compensação na córnea através da aplicação do laser de forma personalizada. Estas imperfeições são conhecidas como aberrações que vão desde baixa ordem (miopia, astigmatismo e hipermetropia) até alta ordem( outras 20 imperfeições)

O olho é tão único quanto a própria impressão digital de cada pessoa. Isto significa que embora certas pessoas tenham exatamente o mesmo grau (miopia , hipermetropia e/ou astigmatismo), elas podem apresentar imperfeições exclusivamente individuais, tecnicamente chamadas de aberrações de alta ordem. Tais imperfeições interferem na qualidade da visão.

Em geral, a aplicação do laser de modo convencional corrige as aberrações de baixa ordem, porém, não melhora as de alta ordem, podendo até piorá-las, sendo comum o paciente ter uma boa quantidade de visão, porém com má qualidade.

Daí a denominação cirurgia personalizada, pois ao realizar a cirurgia baseado neste exame de frentes de onda, o laser corrigirá não somente as imperfeições de baixa ordem como também as de alta ordem. Podendo ser realizada tanto para a técnica de PRK como de LASIK

Com o objetivo de mensurar essas aberrações foram criados os aparelhos de Wavefront denominados aberrômetros, que são sensores de frente de onda (wavefront sensors). Eles podem ser um aberrômetro corneano (só da córnea) ou ocular total (do olho como um todo) e  medem as distorções que a onda de luz sofre ao passar pelos meios ópticos oculares. Esses dados são transmitidos ao excimer laser, que por sua vez procede com o tratamento.

Na prática, isto significa que quanto menor o número de imperfeições no sistema óptico, melhor será a qualidade visual do paciente e consequentemente uma recuperação visual mais precoce. Por isso, a cirurgia personalizada é hoje a técnica de escolha nos principais centros oftalmológicos do mundo.

Se fizermos uma analogia com as digitáis de nossas dedos,  cada pessoa tem sua identidade digital,  sendo uma caracteristica de cada pessoa, pois bem, as aberrações ópticas são individuais e estas devem ser tratadas INDIVIDUALMENTE / PERSONALIZADAS.