27 de abril de 2014

Ceratocone, não existe motivo para pânico

Este final de semana, ao ler as redes sociais, me espantei com o número de pessoas ainda muito desinformadas com o ceratocone. Por isto, decidi escrever sobre esta doença que é, talvez, uma das que mais é cercada por tabus e falta de informação.11Muitas pessoas escrevem o que não sabem a respeito do ceratocone nas redes sociais. Isto provoca pânico e, em certos casos, faz com que pacientes até deixem de procurar ajuda.

Perdem esperanças no tratamento, por pensarem que o simples fato de terem ceratocone as levará à cegueira, o que, absolutamente, é uma inverdade. Não tem fundamento.

A realidade, é que a Oftalmologia avançou muito no tratamento do ceratocone, para cada estágio da doença. O importante é que o médico esteja bem preparado para oferecer a melhor delas ao seu paciente, ao tempo certo.

Nas fases iniciais do ceratocone os óculos são uma ótima opção de tratamento. Em geral, o paciente não apresenta maiores dificuldades visuais. Quando os óculos já não resolvem mais o problema, o paciente é tratado com lentes de contato. As lentes gelatinosas propiciam adaptação perfeita para boa parte dos casos, embora outros pacientes adaptem-se melhor com as lentes rígidas.

Nos casos em que o paciente já não se adapta a nenhum tipo de lente, existe a opção de implante com os anéis de Ferrara. Uma técnica recente, o Corneal Cross-Linking, destina-se a evitar a progressão da doença em todos os seus estágios. Finalmente, quando nenhuma técnica permite o controle do ceratocone, o transplante propicia a cura com grandes chances de sucesso.