26 de setembro de 2014

Adolescente cria aparelho que ajuda cegos a distinguir as cores pelo som

Num mundo cada vez mais individualista, ainda surgem iniciativas que nos fazem acreditar num futuro melhor, principalmente para pessoas que vivem com extrema dificuldade. meninogoogleÉ o que se conclui da história do jovem argentino Matías Apablaza, de apenas 15 anos, que estuda no Instituto Tecnológico del Comahue, em Neuquén, na Patagônia.

Ele criou um equipamento que ajuda cegos a “enxergar” as cores. O dispositivo converte a cor em sons. Parece um tanto abstrato, não é mesmo? Mas, não para Matías, que aprendeu a programar assistindo vídeos na internet aos nove anos. Ao conhecer uma instituição de deficientes visuais, que fazem artesanato em macramé, uma técnica de tecelagem, o jovem se comoveu com a dificuldade deles para reconhecer as cores das linhas.

Foi quando Matías decidiu criar um equipamento que coubesse no bolso e que convertesse as cores em sons. Deu tão certo, que o estudante foi o primeiro colocado na versão argentina do concurso da feira de Ciências do Google, que lhe valeu um prêmio de US$ 1.000 (R$ 2.246,00), que ele pretende investir no aprimoramento do equipamento criado por ele. Mesmo não tendo vencido a versão global do concurso, certamente Matías fez toda a diferença para os deficientes visuais que o inspiraram. E, quem sabe, sua invenção ainda poderá ganhar o mundo no futuro, ajudando pessoas cegas a distinguirem as cores.